Weby shortcut
Disciplina de Enfermagem aborda a Hanseníase envolvendo os três pilares da universidade

Disciplina de Enfermagem aborda a Hanseníase envolvendo os três pilares da universidade

Por Welliton Alves. Criada em 23/10/19 16:38. Atualizada em 23/10/19 16:41.
Unindo ensino, pesquisa e extensão na disciplina, estudantes tiveram aula prática de avaliação neurossensorial com profissional da Secretaria de Saúde Municipal. Saiba mais!

Texto: Ivânia Vera

Fotos: Gabriela Tristão, Ivânia Vera, Natália Mesquita

 

Uma das prerrogativas da Portaria nº 3.125, de 7 de outubro de 2010 que aprova as diretrizes para vigilância, atenção e controle da hanseníase prevê ações de comunicação em saúde, educação permanente e mobilização social, com práticas de educação em saúde para controle da hanseníase baseadas na política de educação permanente e na política nacional de promoção da saúde com  a participação de diferentes atores sociais no planejamento, execução e avaliação, favorecendo a democratização e a descentralização dessas ações.

Nesse sentido, a Universidade como instituição formadora prima para execução do tripé Ensino, Pesquisa e Extensão na produção de conhecimento científico com vistas às ações para a comunidade assistida, nessa situação, a comunidade catalana. Assim, na tarde desta segunda feira, dia 21/10/2019 na sala 308 – Bloco Didático 1, da UFG/RC os estudantes da disciplina de Processo de Cuidar do Adulto e Idoso I, assistiram a uma apresentação expositiva/demonstrativa com o Fisioterapeuta Rômulo Lucas Pereira, do Centro de Referência em Reabilitação Dr. Roberto Antonio Marot – Secretaria Municipal  de Saúde de Catalão-GO, sobre verificação da integridade da função neural com uso do formulário de Avaliação Neurológica Simplificada, uma das ações vinculadas ao Programa de Controle da Hanseníase (PCH).

 

Disciplina de Enfermagem aborda a Hanseníase envolvendo os três pilares da universidade
Rômulo demonstrou na prática o procedimento de verificação da integridade da função neural 

 

Na ocasião, abordou-se também sobre a avaliação do grau de incapacidade física do paciente diagnosticado com Hanseníase, de forma a obedecer aos critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS), ao qual se é desejável que os pacientes ao término do tratamento sejam classificados como “Nenhum problema com os olhos, as mãos e os pés devido à hanseníase”.

Essa atividade foi uma expansão do 1º Seminário de Hanseníase e Tuberculose: integração ensino – serviço realizado no dia 19 de setembro de 2019, no Auditório Lívia Abraão – Bloco Didático II, da UFG/RC, realizado pelas disciplinas de Processo de Cuidar do Adulto e Idoso I e Saúde Coletiva II, do curso de Enfermagem do Instituto de Biotecnologia da Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão – UFCAT em implantação, na figura das Professoras Ivânia Vera, Nunila Ferreira e Anna Paula Mendonça.          

Trata-se de um assunto muito sério, uma vez que hanseníase é uma doença de notificação compulsória em todo o território nacional e de investigação obrigatória. Momento em que cada caso diagnosticado deve ser notificado na semana epidemiológica de ocorrência do diagnóstico, utilizando-se a ficha de notificação e investigação do Sistema de Informação de Notificação de Agravos Nacional (Sinan) nos três níveis de atenção à saúde. A notificação deve ser enviada ao órgão de vigilância epidemiológica hierarquicamente superior, permanecendo uma cópia no prontuário. As fichas de notificação de casos devem ser preenchidas por profissionais das unidades de saúde onde o (a) paciente foi diagnosticado (a). O município é responsável por imprimir e enviar mensalmente às unidades de saúde o Boletim de Acompanhamento.

Os momentos proporcionados pelas coordenadoras das disciplinas acima mencionadas neste semestre de 2019, está sendo muito produtiva. Há uma grande troca de saberes entre os setores ensino-serviço-comunidade. Nossos agradecimentos a toda equipe da Unidade Básica de Saúde João Moreira de Castro (UBS São João) – Programa de Controle de Hanseníase, na figura da Dra. Elaine Rosa e da Técnica em Enfermagem Isabel Cristina Santana Alves, o Fisioterapeuta Rômulo Lucas, bem como todos os pacientes que tem recebido prontamente os estudantes quanto à Consulta de Enfermagem sob orientação com as professoras Ivânia Vera, Natália Mesquita e Lígia Maria Maia.

 

Disciplina de Enfermagem aborda a Hanseníase envolvendo os três pilares da universidade
Turma de discentes da disciplina de Processo de Cuidar do Adulto e Idoso I,
juntamente da docente Ivânia e do fisioterapeuta Rômulo

 

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da Hanseníase como problema de saúde pública: manual técnico-operacional [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

BRASIL. Portaria nº 3.125, de 7 de outubro de 2010. Aprova as Diretrizes para Vigilância, Atenção e Controle da Hanseníase. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/prt3125_07_10_2010.html . Acesso em: 23 out 2019.

 

Fonte: Ascom - RC/UFG

Categorias: Notícias Enfermagem hanseníase